Warning: strtotime(): It is not safe to rely on the system's timezone settings. You are *required* to use the date.timezone setting or the date_default_timezone_set() function. In case you used any of those methods and you are still getting this warning, you most likely misspelled the timezone identifier. We selected the timezone 'UTC' for now, but please set date.timezone to select your timezone. in /home/lampiaod/public_html/index.php on line 12

Warning: strtotime(): It is not safe to rely on the system's timezone settings. You are *required* to use the date.timezone setting or the date_default_timezone_set() function. In case you used any of those methods and you are still getting this warning, you most likely misspelled the timezone identifier. We selected the timezone 'UTC' for now, but please set date.timezone to select your timezone. in /home/lampiaod/public_html/index.php on line 12

Warning: strtotime(): It is not safe to rely on the system's timezone settings. You are *required* to use the date.timezone setting or the date_default_timezone_set() function. In case you used any of those methods and you are still getting this warning, you most likely misspelled the timezone identifier. We selected the timezone 'UTC' for now, but please set date.timezone to select your timezone. in /home/lampiaod/public_html/index.php on line 12

Warning: strtotime(): It is not safe to rely on the system's timezone settings. You are *required* to use the date.timezone setting or the date_default_timezone_set() function. In case you used any of those methods and you are still getting this warning, you most likely misspelled the timezone identifier. We selected the timezone 'UTC' for now, but please set date.timezone to select your timezone. in /home/lampiaod/public_html/index.php on line 12
“Você devia gostar, foi um elogio!” - Lampião Digital

“Você devia gostar, foi um elogio!”

“Você devia gostar, foi um elogio!”

Produção: Raiane Rezende 

As mulheres não experienciam as ruas do mesmo jeito que os homens. As mulheres precisam pensar diversas vezes em quais roupas usarão, como se caminhar até a esquina fosse um grande evento. Um rápido passeio traz  o risco de serem apontadas, julgadas e objetificadas como os homens quiserem.

Ao caminhar nas ruas, as mulheres se preocupam com horário, caminho tomado, companhia, além de precisar comunicar aos amigos onde estão. A chave de casa vai entre os dedos, os passos são apressados, o olhar para trás de vez em quando é necessário. Não se deve cumprimentar ninguém que não se conhece, e é preciso ignorar um “bom dia”, “boa tarde”, “boa noite” porque não se sabe as intenções que podem existir por trás de tal cumprimento. Chegar à porta de casa o mais rápido possível é uma pequena grande vitória. 

Sim, isso é um pouco do que as mulheres vivem diariamente nas ruas do mundo, inclusive, em Mariana. 

O assédio sexual sofrido nas ruas acarreta uma série de emoções desagradáveis  por dois motivos: As mulheres não querem ser objetificadas e tampouco sabem quais assédios são apenas desagradáveis e quais deles podem resultar em violência física, inclusive estupro. 

O LAMPIÃO aplicou um formulário online sobre o assédio sexual nas ruas de Mariana: Das 80 respostas obtidas, 79 mulheres disseram já terem sido assediadas. 

Assédio sexual não é elogio, é crime desde setembro de 2018 e tem tipificação como  importunação sexual pela Lei 13.718: ‘‘Praticar contra alguém e sem sua anuência ato libidinoso com o objetivo de satisfazer a própria lascívia ou de outrem’’. E deve assim ser registrado pela polícia e nunca ignorado. 

Sentir como o assédio incomoda só pode ser possível pela experiência própria, mas para compreender que esse desconforto existe é importante conhecer a opinião de quem está sujeito a ele. Para isso, o LAMPIÃO produziu um compilado, em áudio, de experiências reais relatadas por mulheres que vivem em Mariana e contribuíram com nossa pesquisa. As repórteres Raiane Rezende e Gabriela Paiva dão voz aos relatos e dados coletados.