Mariana restabelece o skate na cidade

Mariana restabelece o skate na cidade

Repórter: Danillo Frederico

 

Finais de semana repletos de crianças, jovens e adultos praticando esporte. Essa é a experiência ao chegar na pista de skate de Mariana, inaugurada no último mês. A modalidade, que contava com a pista em um centro esportivo demolido (onde é localizado o atual Centro de Convenções), foi deixada de lado na cidade por mais de dez anos. A pressão dos praticantes da modalidade foi fundamental para a construção da nova pista, que agora dispõe de um espaço adequado para o skateboard, patins e BMX.

Em 2018, durante um dos eventos do programa Mãos Solidárias, aconteceu um protesto para reivindicar a implantação de uma nova pista. Fernando Henrique Pena, 32, foi um dos organizadores: “Eu estava desempregado na época e comecei a vender algumas peças de skate. Algumas pessoas andavam na minha rua e nos mobilizamos em um dos Mãos Solidárias estendendo uma faixa porque queríamos o nosso espaço de volta”. 

Após esse dia, continuaram com a cobrança pelo espaço e acompanhando o andamento da solicitação por meio de um abaixo-assinado online. Os praticantes iam até Belo Horizonte de carro, com apoio do legislativo e executivo ou utilizavam o espaço interno da Arena Mariana cedido pela técnica Priscilla Tukoff durante esse período.

Com as reivindicações, em outubro de 2018, a Prefeitura de Mariana anunciou a construção da nova pista de skate avaliada em R$ 210 mil, com cerca de 310 m². No ano de 2019, ela foi inaugurada. A obra, no valor de cerca de R$ 218 mil, recebeu vários questionamentos. A instituição afirma que, para a construção da pista de skate, foi montada uma equipe composta por engenheiros e arquitetos. Sobre o aumento do valor, à princípio, a pista teria uma área de 320m². No entanto, para atender solicitações dos praticantes das modalidades, a área passou para 352 m², o que compreende a 32 metros de comprimento por 11 de largura.

As queixas sobre o nível de dificuldade da pista são recorrentes, principalmente entre os iniciantes. A construção de uma pista requer conhecimento sobre os níveis de dificuldade pretendidos, materiais adequados e proposta do aproveitamento do espaço. Um dos membros da mobilização para a pista, Frederico Coelho Gonçalves, afirma: “Quem inicia pode passar por bastante dificuldade. Sente muito baque e não sai tão leve, é fácil desestabilizar e as transições são mais pesadas e íngremes”.

Amor pelo esporte

Mais do que apenas um esporte, é sobre um estilo de vida em que as pessoas compartilham gírias, formas de vestir e hábitos. Domingos Sávio, 28, é praticante da modalidade: “O que eu mais curto é o street, mas agora com a pista é ‘desembolar’ as manobras”. Ele, que trabalha como açougueiro, diz que após a inauguração, muitas pessoas voltaram para a prática: “Eu me sinto muito feliz, para mim o skate é o melhor esporte que existe. Não tenho palavras para descrever, skate é vida”.

Frederico Coelho Gonçalves, 19, também é adepto do street e pratica o esporte há 10 anos. Para o estudante de psicologia “a pista nova é boa, é algo necessário há muito tempo, existia uma falta grande. Eu fiquei dois anos parado, fiquei desanimado de não ter o espaço e não poder evoluir”.  Ele contou que antes de ter a pista, era preciso improvisar comprando equipamentos paliativos que às vezes eram furtados na Arena Mariana.

Nosso campeão

Nem todos praticam a modalidade apenas por diversão. Darlan Guimarães, 22, é praticante de BMX. Participante de alguns campeonatos não-oficiais na região, ficou em 1º no Camp Street de Ouro Preto e em 2º no Canibal BMX em Ponte Nova. Já em Belo Horizonte, ganhou best trick no Apocalypse Now. Iniciou na modalidade aos 16 e parou aos 18 após uma lesão. Mas, atualmente, quando questionado sobre a pista, ele relata pretender voltar a praticar o esporte.

Projetos

A pista agora conta com um projeto voluntário, executado pelo professor Fernando Pena (um dos praticantes que protestaram em prol da pista). As aulas são para a faixa etária de 8 a 14 anos, de 9h até às 10h30, nas terças e quintas. A Prefeitura de Mariana cedeu equipamentos de segurança e skates para as aulas, no entanto, eles só suportam essa faixa etária. As inscrições são realizadas na Secretaria de Esportes e começam no dia 7 de novembro. Serão disponibilizadas 20 vagas.