Circuitos culturais de Mariana: expressões da diversidade

Circuitos culturais de Mariana: expressões da diversidade

Gilbert Cireli, Sidnei Souza

Em seus três primeiros séculos de história, Mariana tem como um importante marco a sua cultura. Conhecida como berço do Estado de Minas, a cidade Primaz irradiou formas de vida e expressões da arte, religiosidade e cultura para as Gerais. A cultura marianense, tão diversa, é fruto das diferentes tradições dos povos que, ao longo de sua história, contribuíram para sua formação.

As manifestações culturais locais incluem a participação dos portugueses, povos africanos e seus descendentes, o que reflete a história da cidade e seu passado colonial. A junção desses povos e seu legado conformam a paisagem cultural da cidade, com destaque para cultura negra, profundamente marcada em diversos de seus aspectos.

No âmbito da religiosidade, vale destacar a presença marcante da Igreja Católica que faz do espaço da praça Minas Gerais uma área de grande interesse e visitação. A arte da pintura, como as importantes obras presentes nas igrejas, criadas pelo pintor Manoel da Costa Ataíde, mais conhecido como mestre Ataíde — ilustre filho de Mariana, além da escultura como ornamentação em templos religiosos e outras obras produzidas em madeira e pedra em vários ateliês ao entorno são um grande atrativo da cidade.

Além do material

Além dessas expressões materiais, a cultura imaterial marianense está presente nas manifestações tradicionais da população, como reuniões em praças, nos espaços públicos da cidade, bem como em eventos religiosos de diferentes credos. As manifestações imateriais entrelaçam a afetividade da comunidade marianense e o saber popular que a permeia. As tradições, práticas e crenças, em suas diferentes materialidades, estão espalhadas pela cidade, principalmente no centro histórico.

Um outro importante ponto a se destacar na expressão da cultura de Mariana ao longo de sua história, são os espaços de encontro e convivência onde os sentidos são criados, repassados, decifrados e, sobretudo, vivenciados como exercício imaterial da cultura. Espaços que foram se estabelecendo e podem ser identificados como raiz da difusão do conhecimento popular e do que é pertencer a um grupo e viver de acordo com suas crenças e modo de agir.

Expressões como a dança, a arte circense, a capoeira, a música, o artesanato, a educação cultural, o teatro, o esporte em suas várias modalidades e tantas outras estão presentes em várias regiões do município. O mapa destaca alguns destes locais de convivência que marcam a importante história da cultura imaterial de Mariana. Uma caraterística que une os pontos culturais é, justamente, a sua realização em grupos em que é fundamental o encontro, a convivência, a participação, a partilha e a produção de sentidos e conhecimentos comunitários. São áreas como praças, feiras, e diferentes espaços físicos de organizações culturais, onde há uma interação entre o passado e o presente, visando, por meio da tradição, perpetuar os valores culturais da população.

Acesse o mapa e conheça mais sobre a cultura marianense

Nesse mapa interativo, situamos a localização de alguns desses locais, como a Escola de Capoeira Oxalufã, o Clube Osquindô, o Circovolante, a escola de dança no centro Recriavida, a pista de skate Juninho Boy, o Ateliê Meninas Arteiras, a praça Gomes Freire (popularmente conhecida como o Jardim de Mariana, maior e mais conhecido ponto de encontro da cidade) e a importante praça Minas Gerais, centro do poder local nos primórdios da história de Mariana. Este local abriga duas importantes igrejas dispostas lado a lado — a igreja de São Francisco e a do Carmo. Além das igrejas, a praça inclui a antiga Casa de Câmara e Cadeia e o pelourinho, e é hoje um espaço de encontro de diferentes grupos para manifestações culturais variadas como a Batalha de Rap, luaus, rodas de capoeiras e eventos religiosos. Também temos a Feira Noturna do Barro Preto, o Centro de Convenções de Mariana, a Casa dos Artistas, o Espaço de Convivência e o Projeto Social Alferes, ambos no bairro Prainha.

Pensar a cultura de um povo por meio de suas manifestações não é somente entendê-la como enraizada em valores e expressões de seu passado histórico, mas sobretudo pensar em como muitas delas sobreviveram e como se reinventaram na conformação do tempo presente, delineando novos sentidos e fomentando a continuidade de suas transformações.

A cultura em Mariana é uma realidade viva, que vai se reinventando e adquirindo manifestações de seu presente ao mesmo tempo em que promove o enaltecimento da sua história. Nestas relações sociais há ainda o encontro das pessoas com suas raízes e novos laços de pertencimento, além da continuidade de seus valores culturais.

Em conjunto com o mapa, separamos também uma pequena amostra sonora desses espaços, que ambientam as vivências de alguns moradores da cidade de Mariana e suas experiências ao participar desses espaços e práticas culturais.