Centro de Reabilitação para pacientes que tiveram COVID-19 começa a funcionar na Previne

PRODUÇÃO: CAUAN GOMES, DAIANA AGUSTO, PAULO CARVALHO
 
O Centro Municipal de Especialidades Médicas
O Centro Municipal de Especialidades Médicas – Previne está localizado na Rua Wenceslau Braz, número 445. Foto: Prefeitura de Mariana.

Situado no Centro Municipal de Especialidades Médicas e funcionando desde o dia 15 de julho, o Centro de Reabilitação Pós-COVID atende pacientes que convivem com as sequelas da doença em Mariana. A iniciativa da Secretaria de Saúde do município segue o caminho de iniciativas espalhadas pelo Brasil para amparar aqueles que se recuperam da infecção.

A COVID em Mariana

Em 19 de março de 2020, a Secretaria de Saúde confirmou o primeiro caso positivo da doença em  Mariana. Desde então o município registrou 13.469 notificações de infecção pela doença, com 9.047 casos positivos recuperados e 94 óbitos, de acordo com os dados divulgados no boletim do dia 28/07/21. Com uma população de mais de 61 mil habitantes, Mariana vive o  mesmo problema da maioria das cidades brasileiras: aumento de casos e estoque insuficiente de doses da vacina. Esse cenário favorece o surgimento de sequelas que precisam ser monitoradas com ainda mais atenção e cuidado.

Funcionamento

Desde o dia 15 de julho, os pacientes que tiverem recebido alta hospitalar ou encerrado período de isolamento passaram a contar com a oferta de um acompanhamento especializado. Entre os profissionais que fazem parte da equipe estão cardiologistas, oftalmologistas, neurologistas e pneumologistas que foram realocados para este atendimento mais especializado a quem se recupera  da COVID. A Secretaria de Saúde, a partir da demanda médica, disponibilizará demais serviços e consultas.

Ana Paula, que é fisioterapeuta, atua como coordenadora do Serviço Especializado de Reabilitação e é responsável por direcionar os fluxos e garantir os atendimentos. Além dela, o centro conta com duas médicas. A equipe ainda está em formação e funciona como porta de entrada para encaminhar pacientes para as outras especialidades da rede de atendimento.

Prioridades

A triagem dos pacientes que serão atendidos está sendo feita por meio de um questionário. Até o dia 13 de julho, dois dias antes do início dos atendimentos, o número de inscritos já passava dos 100.  A aplicação é feita pela Secretaria de Saúde assim que o paciente tiver alta e manifestar algum sintoma ou sequela Pós-Covid. Após manifestar interesse e realizar o preenchimento do questionário, cada paciente será classificado de acordo com o risco dos sintomas mencionados. Dessa forma, uma lista de prioridades é formada para realizar o agendamento com os médicos de referência ou no serviço de atenção primária.

Fluxo de atendimento centro de reabilitação

Mais de seis meses sem olfato

Em março de 2021, a revista científica The BMJ, do Reino Unido, publicou uma pesquisa realizada por estatísticos e médicos especializados em cardiologia e medicina vascular, evidenciando dados sobre sequelas deixadas pela doença. O estudo revelou que até 73% das pessoas que testaram positivo apresentaram sintomas posteriores como falta de ar persistente por semanas, fadiga, problemas para dormir e até mesmo queda de cabelo. Complicações em órgãos como coração, fígado ou rins foram registrados, contrariando a ideia de que a doença só causava sequelas no pulmão, que de fato é um dos órgãos mais afetados pelo novo coronavírus.

Apesar dos cuidados intensificados com o nascimento da filha, Poliane Freitas e a recém-nascida testaram positivo para a doença em dezembro de 2020. O desconhecimento dos possíveis efeitos da doença e o medo fizeram parte da vida da marianense no início da pandemia. Hoje, ela vive as consequências da COVID-19: “até hoje meu paladar e meu olfato não voltaram. Sinto muitas dores nas pernas, cansaço, muita queda de cabelo e esquecimento fácil das coisas”. Sintomas como dores musculares e de cabeça foram sentidas também pela filha de Poliane.

Projeto de Lei em Ouro Preto

Localizada a pouco mais de 13 km de Mariana, a cidade vizinha Ouro Preto planeja ter o seu próprio Centro de Reabilitação. A indicação foi feita pelo vereador Renato Zoroastro (MDB), no dia 18 de março deste ano, na Câmara Municipal de Vereadores, e planeja atender os pacientes em recuperação daquela cidade. O parlamentar cita na solicitação parcerias com a Universidade Federal de Ouro Preto, por meio dos departamentos de Educação Física e Nutrição. Zoroastro teve a doença e ficou treze dias internado, oito deles na UTI. Ele procurou um acompanhamento médico depois da alta hospitalar, movido pela preocupação de ter sido infectado por uma doença nova: “eu precisei fazer um acompanhamento com um fisioterapeuta, fisioterapeuta respiratório, uma nutróloga e exames de fígado e rins”. O tratamento durou mais de um mês e inspirou o parlamentar à indicação feita na audiência pública que contou com a presença de representantes da Secretaria de Saúde de Chapecó, que tem um Centro de Reabilitação referência no Brasil, desde abril.

O telefone para entrar em contato com a equipe de serviço especializado é o 3557-9801

Clique aqui para acessar o formulário de triagem.