A retomada das atividades presenciais em Mariana

A retomada das atividades presenciais em Mariana

PRODUÇÃO: ALISSON CRUZ, ANDRÉ NEVES E ERNESTO NETO

Com o avanço da vacinação e a diminuição no número de casos de contaminação da Covid-19, a retomada do público em eventos presenciais se tornou mais comum. Em Mariana, apresentações públicas e particulares movimentam as ruas da cidade e atraem turistas de municípios vizinhos. Apesar das regras de distanciamento e uso de máscaras, a realização destes eventos gera aglomerações e traz riscos à população. 

No último mês, o Comitê Extraordinário Covid-19 de Minas Gerais atualizou o Protocolo Sanitário de Eventos de Entretenimento e Lazer com Grande Público e também incluiu orientações aos estabelecimentos do setor. No novo documento, as regras foram atualizadas para a realização de eventos culturais, esportivos ou comerciais com concentração acima de 600 pessoas. As lotações máximas desses espaços são determinadas conforme a classificação por onda do plano Minas Consciente.

Após quase dois anos sem eventos presenciais com público, a cidade de Mariana retornou, no mês de novembro, com eventos destinados à população. Entre eles está o Iron Biker. A maior prova de Mountain Bike da América Latina aconteceu nos dias 12 e 13 de novembro e levou cerca de 6 mil pessoas para o centro da cidade primaz. Apesar do sucesso de público, a realização da competição causou receio para alguns moradores da cidade.

“Acho que ainda não é o momento de festa. A cidade ainda registra casos de contaminação de Covid-19 e realizar um torneio que gera aglomeração é muita irresponsabilidade da prefeitura”, afirma a moradora do bairro São Gonçalo, Maria Tereza Silva, 53 anos.

Já para o morador do bairro Colina, Lucas Brito, 32 anos, é o momento certo para as pessoas voltarem a frequentar os locais de lazer.

“Acredito que a hora é agora. Com a vacinação, os casos diminuíram e podemos voltar a frequentar espaços com mais pessoas”.

A organização do evento afirmou que adotou medidas sanitárias, exceto o uso de máscara durante a realização da prova, e exigiu o teste negativo para Covid de todos os atletas que participaram da competição, além de seguir as regras estabelecidas pelo Minas Consciente.

“Acredito que é o momento certo para a volta dos eventos. É muito importante essa retomada pensando economicamente. Além do mais, gera um efeito de confraternização entre as pessoas”, destaca o organizador do Iron Biker Brasil, Lucas Fonda.

Outro evento com participação da população foi o Mucih – Música nas Cidades Históricas. O show contou com entrada gratuita, número limitado de pessoas, distanciamento de cadeiras, aferição de temperatura e uso obrigatório de máscaras.

“Seguimos todas as medidas de segurança da OMS. Acredito que dessa forma é possível retornar aos locais e se divertir com outras pessoas. Fiquei emocionado com a energia da música e das pessoas. Uma alegria como se a vida estivesse de volta”, destaca o produtor do Mucih, Leonardo Conde. 

A opinião do médico epidemiologista Marcelo Campos é de que estamos no momento certo para a volta do público em eventos presenciais, desde que as pessoas estejam devidamente vacinadas e com o passaporte da vacinação, além do uso de máscara e álcool fator 70%.

“Precisamos aguardar para entender o impacto da volta da população aos locais públicos, no momento temos que ter atenção em sinais de aumento de casos para endurecer as medidas de segurança, caso necessário.”

Foto: Divulgação Mucih

Entretanto, sobre a realização de grandes eventos com a presença do público, ainda há discussões. Na sexta-feira, 10 de dezembro, ocorreu uma reunião da Associação das Cidades Históricas de Minas Gerais, que discutiu sobre a não realização do carnaval. Mariana, que faz parte deste grupo, concordou com a ideia. De acordo com o prefeito interino de Mariana, Juliano Duarte, em entrevista à Rádio Mariana FM, a saúde pública é a prioridade.

“A princípio, a prefeitura planejava fazer um carnaval muito bacana, legal e com muitas atrações culturais, mas a saúde vem sempre em primeiro lugar na minha gestão. Sempre preocupado com vidas e com pessoas, posso dizer que Mariana não terá carnaval.”

No momento, Mariana já registra 10.923 casos confirmados e 103 óbitos por Covid-19. Mesmo seguindo todos os protocolos estabelecidos pelas autoridades sanitárias, o vírus segue fazendo vítimas em todo o mundo, prolongando ainda mais a pandemia. O epidemiologista, Marcelo Campos, reitera que as vacinas não evitam a propagação do vírus, por isso ainda é necessário o uso de máscaras e manter o distanciamento social.

“Uma máscara reduz 33% a chance de contágio quando você está a menos de um metro de uma pessoa contaminada” destacou, Marcelo.

Procurada pela redação do LAMPIÃO, a prefeitura de Mariana, até o fechamento desta matéria, não se manifestou sobre o assunto.

(CAPA: Livia Maria – Flickr Iron Biker Brasil/Prefeitura Municipal de Mariana)